Governança de TI Com Melhores Práticas COBIT, ITIL e BSC

April 18, 2019 | Author: Atoum | Category: Cobit, Itil, Software Framework, Corporate Governance, Benchmarking
Share Embed Donate


Short Description

Governança de TI Com Melhores Práticas COBIT, ITIL e BSC...

Description

{aula #3}

   C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Governança de TI com melhores melhores práticas práticas COBIT®, COBIT®, ITIL® ITIL® e BSC®  BSC® 

www.etcnologia.com.br 

Rildo F Santos (11) 9123-5358

[email protected]  twitter: @rildosan

Objetivo:    C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C Apresentação Apresentação da aula # 3 do “Workshop Governança de TI Com COBIT COBIT®, ®, ITIL® ITIL® e ”.   m BSC® ”.   o   c Objetivo do Workshop:    I    T Compartilhar conhecimento, trocar experiência e prover aprendizado sobre Governança de   e TI com demonstrar como utilizar utilizar as melhores práticas, práticas, técnicas técnicas e com COBIT®, COBIT®, ITIL® ITIL® e BSC®  BSC® de demonstrar    d ferramentas.   a   ç   n Objetivo dessa aula:   a Demonstrar como implementar a Governança de TI através de um Estudo de Caso.   n   r   e   v Pré-requisito:   o Conheciment Conhecimentos os básicos básicos de COBIT®, COBIT®, ITIL® de BSC BSC e de gestão gestão de Tecnologia ecnologia da    G Informação (TI).

O Conteúdo do workshop:    C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

1 Fundamentos

2 Melhores Práticas

3 Estudo de Caso

1 – Fundamentos da Governança de TI: Explorar a Governança de TI e sua motivação, definição, conceitos, modelo e benefícios. 2 - Melhores Melhores práticas práticas para para Governanç Governança a de TI: - Apresentar e discutir as melhores práticas práticas para a Governança Governança de TI: TI: Cobi Cobit, t, ITIL ITIL e BSC. BSC. 3 – Estudo de Caso: Demonstrar Como implantar a Governança de TI com base no Cobit

   C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Como implantar a Governança de TI com base no Cobit Objetivo desta parte: Demonstrar um exemplo de implantação da Governança de TI.

Dúvidas:    C Quando temos que implementar a Governança de TI, surge as dúvidas:    S - Como começar ?    B   e - Por onde começar ?    ® - Quando começar ?    L    I - O quê devo fazer primeiro ?    T    I ....  ,    ® Qual abordag em Quais s ão os fatores    T    I devo utilizar ?  críticos de s uces s o ?     B    O    C   m Quais s ão as melhores   o  prátic as para   c    I implementação da    T G overnança de TI ?    e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Introdução: Qual é a melhor abordagem ?    C Você poderá implementar a Governança de TI, de formas diferentes, utilizando    S as abordagens:    B   e    ® 1º. Abordagem Top-Down, a alta gestão definiu que a empresa deve    L    I implementar a Governança de TI.    T    I 2º. Abordagem Bottom-up, a alta gestão não pediu, mas a TI decidiu que  , deveria fazer alguma coisa para melhorar os serviços de TI, neste caso a    ®    T    I implementação deve começar pela Gestão. Exemplo: Implementar a Gestão de    B Serviços de TI ou Gestão de Segurança da Informação.    O 3º. Abordagem, é mais comum, pela “dor”, ou seja pelo ponto fraco de TI que    C tem impacto direto na geração de valor ao negócio. Para saber basta qual é a   mdor perguntar aos usuários eles poderão ajudar.   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Abordagens de Implementação da Governança de TI:    C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ® 1    T    I    B    O    C   n   w   m   o   o    D   c   p   o    I    T    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Governança Corporativa Governança de Conformidade

Governança do Negócios

2   p    U   m   o    t    t   o    B

  o   c    i   g    é    t   a   r    t   s    E

BSC

  o   c    i    t    á    T   e    l   a   n   o    i   c   a   r   e   p    O

   I    T   e    d   s   o   ç    i   v   r   e    S

COSO Cobit

Governança de TI Planejamento Estratégico de TI

ITIL / ISO20000

DOR

  a    d  o   a   ã   ç   ç   n   a   a   r   m   r   u   f   o   g   n   e   I    S

  e   e   r    d   a   w   a   t    f   c    i   r   o    b   S    á   e    F   d CMMi/ Mps.br 

ISO17799/ ISO27002

Arquitetura de TI Recursos

Projetos

3

  s   e   r   o    d   e   c   e   n   r   o    F SAS70 / e-SCM

PMBok/PMI Processos

BPM Qualidade ISO9001 / Seis Sigma

Quais sãos os fatores críticos de sucesso ?    C Na implementação da Governança de TI, os principais fatores são:

   S    B Pessoas:   e Motivadas e    ® Capacitadas    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C Tecnologia e   m ferramentas   o de produtividade   c    I    T   e    d Processos &   a Adoção das   ç   n Melhores Práticas   a   n   r   e   v   o A Integração de Pessoas, Processos e Tecnologia (ferramentas) e um bom Plano de    GComunicação aumentam a chance de sucesso da Implementação de Governança de TI.

   C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Estudo de Caso 1: Objetivo desta Estudo de Caso: Demonstrar um exemplo de implantação da Governança de TI seguindo a abordagem Top Down.

Modelo de Governança: Abordagem Top Down    C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Governança Corporativa Governança de Conformidade

Governança do Negócios

  n   w   o    D   p   o    T

  o   c    i   g    é    t   a   r    t   s    E

BSC

  o   c    i    t    á    T   e    l   a   n   o    i   c   a   r   e   p    O

   I    T   e    d   s   o   ç    i   v   r   e    S

COSO Cobit

Governança de TI Planejamento Estratégico de TI

ITIL / ISO20000

Projetos

  e   e   r    d   a   w   a   t    f   c    i   r   o    b   S    á   e    F   d

  a    d  o   a   ã   ç   ç   n   a   a   r   m   r   u   f   o   g   n   e   I    S

  s   e   r   o    d   e   c   e   n   r   o    F

Mps.br 

ISO17799

e-SCM

Arquitetura de TI Recursos

PMBok/PMI Processos

BPM Qualidade ISO9001 / Seis Sigma

Justificando a escolha do Cobit ?    C O COBIT esta preparado para acomodar padrões internacionais, e está cada vez    S    B mais reconhecido como o framework para a Governança de TI.   e O COBIT está focado em o que é necessário para alcançar a governança e o    ®    L    I controle de alto nível. Ele está alinhado com outras melhores práticas e pode ser    T    I usado como o “integrador” de diferentes guias, frameworks, padrões e normas tais  , como a ISO 17799 e a ITIL.    ®    T    I    B COBIT    O    9 Estratégia    9    C    7    7    1   m Controle de    O   o    S   c    I Processo    I    T   e CMM    d Execução de Processo ITIL   a   ç   n • Procedimentos • Procedimentos • Procedimentos • Procedimentos • Procedimentos   a •2 •2 •2 •2 •2 Procedimentos •3 •3 •3 •3 •3   n   r • 4,5,6…. • 4,5,6…. • 4,5,6…. • 4,5,6…. • 4,5,6….   e   v   o    G

Utilizando o COBIT para implementar a Governança de TI    C O COBIT e outros Frameworks:    S    B PERFORMANCE CONFORMIDADE   e Alta Gestão Metas de Negócios Basel II, Sarbanes-Oxley Act, etc.    ®    L    I    T    I  , Balanced Scorecard COSO Governança de Negócio    ®    T    I    B    O    C COBIT Governança de TI   m   o   c    I Normas, Padrões e Melhores    T Mps.br ISO 17799 ITIL Práticas   e    d   a   ç Gestão de Metodologia de Politica de   n Processos e Procedimentos Desenvolvimento   a Serviço de TI Segurança   n   r   e   v   o    G

Road Map de Implantação da Governança de TI:    C    S 1 - Definição da Matriz de Responsabilidades e Decisões    B   e Governança de TI: Especificação dos direitos decisórios e do framework de responsabilidades para estimular comportamentos desejáveis na utilização da TI    ®    L    I Decisão Necessidade    T Principios e Arquitetura Infra-estrutura Investimento    I de aplicações  , Missão de TI de TI de TI em TI de negócio Arquétipo    ®    T    I Monarquia    B de Negócio    O Monarquia    C de TI   m   o Federalismo   c    I    T Duopólio   e    d Anarquia   a   ç   n   a Definir:   n   r - Quem decide e responde (presta conta) os princípios, missão e Governança de TI.   e - Quem decide sobre a arquitetura e Infraestrutura de TI.   v - Quem decide sobre as demandas e necessidades de aplicações.   o - Quem decide sobre os investimentos em TI.    G

Road Map de Implantação da Governança de TI    C Um caminho para TI fazer a implementação da Governança de TI    S    B 2 – Fazer o alinhamento Estratégico entre o negócio e TI:   e Técnicas, Frameworks,    ®    L Padrões e Normas Questões ? Respostas    I    T    I Objetivos/Diretrizes do  , 2.1- Para onde Negócio ou BSC Visão e Objetivos    ® queremos ir? Governança de TI    T    I    B    O    C  Avaliação dos processos de Avaliações 2.2 - Onde estamos ? TI guiada pelo Cobit   m   o   c    I    T   e 2.3 - Como Implementação das Frameworks e Melhores Práticas: ITIL, ISO 17799,    d chegaremos lá? Melhores Práticas CMMi...   a   ç   n   a   n   r   e 2.4 - Como saberemos Monitoramento   v Indicadores e Métricas   o se chegamos? e Avaliação    G

Road Map de Implantação da Governança de TI    C 2.1 - Para onde queremos ir?    S

   B > Alinhamento da estratégia da Empresa com a Estratégia da TI   e    ® Exemplo: Desdobramento BSC e dos Mapas Estratégicos:    L BSC para TI    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I Mapa Estratégico    T Corporativo   e    d   a   ç Mapa Estratégico   n para TI   a   n   r   e Mapa Estratégico para   v   o Gestão de Serviços de TI    G (Entrega e Suporte)

BSC para Gestão de Serviços de TI

Road Map de Implantação da Governança de TI:    C > Alinhamento da estratégia da Empresa com a Estratégia da TI    S    B Exemplo: Desdobramento BSC e dos Mapas Estratégicos:   e    ® COBIT    L    I    T    I Monitoramento e Avaliação Aquisição & Implantação  ,    ® CMMi    T    I BSC Corporativo Requisitos    B Planejamento e Organização    O    C   m BSC para Fábrica de   o Software   c    I    T Entrega e Suporte   e BSC para TI    d ITIL/ Alinhamento Estratégico   a ISO 20k   ç   n Informação   a   n   r   e BSC para Serviços   v de TI   o    G

Road Map de Implementação de Governança de TI:    C 2.2 - Onde Onde estam estamos os ?    S  A Metodologia de Implementação é divida em em duas fases:    B dos Processos de TI   e Fase 1 - Avaliação do Nível de Maturidade dos    ®    L    I    T    I  , Fase 1    ®    T Mapear os    I    B Processos de TI Avaliar os    O    C Workshop de Processos de TI Conscientizar   A valiação do Ní vel de   m  Maturi  Mat uri dade dos Pr oces s os   o   c    I Governança    T de TI   e Elaborar os    d   a Planos de Ação   ç   n Fazer    a   n Gap Analysis   r   e   v   o    G

Road Road Map de Impla Implanta ntação ção da da Govern Governanç ança a de TI    C A metodologia de implementação: Fase 1    S Atividad vidades: es: Cons Conscient cientizar izar e Mapear Mapear os Processo Processo de TI    B Ati   e Mapeamento de Processos Workshop de    ® Identificação dos processos de TI que fazem para Conscientização    L da Governança de TI. Ferramenta: Cobit    I    T    I  ,    ®    T Objetivo é sensibilizar/conscientizar    I    B todos os envolvidos com o processo,    O    C para disseminação dos conceitos   mfundamentais e definições da Gestão   o Serviços de TI.   c    I  A participação das pessoas chaves é    T um fator critico de sucesso.   e    d   a Ferramenta: Workshop   ç   n   a   n   r   e   v   o Observação: De acordo com o modelo de Governança de TI que será    G implementado o número de processos pode variar.

Road Road Map de Impla Implanta ntação ção da da Govern Governanç ança a de TI    C A metodologia metodologia de implementação: Fase 1    S Ati vidade: e: Avalia valiarr do Nível Nível de Maturidade Maturidade dos Process Processos os de TI    B Atividad   e Modelo de Maturidade do Cobit:    ®    L Benchmarking    I (padrão de mercado) Valor     T    I  , Otimizado    ® (valor)   e    T    I    d Gerenciado   a    B    d (serviço)    i    O   r Definido   u (pro-ativo)    C    t   a Repetitivo   m    M (reativo)   e   o    d Inicial   c    l (caótico)    I   e Não existe   v    T    í    N   e    d   a   ç < pior Tempo Melhor >   n   a   n   r   e   v   o    G

- É necessário necessário definir definir o nível de maturidade de referência (ou nível de maturidade meta). Exemplo: O nível 3 de maturidade, pois, ele é considerado como meta, por ser um padrão de benchmarking mercado.

Considerações sobre o Nível de Maturidade dos Processos de TI:    C O Modelo de Maturidade do Cobit Quando maior for nível de    S é uma forma de medir quão bom os maturidade do processo    B processos de gerenciamento são, ou mais capaz ele será de atingir a missão o objetivos Quando maior for nível de   e seja, quão capazes eles são. maturidade do processo mais capaz ele será de tender    ® O quanto devem ser desenvolvidos os requisitos de conformidade    L e mitigar o risco. ou capacitados deveria depender dos    I    T    I objetivos de TI e sua conexão como  , as necessidades de negócios que    ® eles suportam.    T    I    B Qual é o nível ideal de maturidade    O dos processos ?    C O nível de maturidade pode variar de empresa para empresa, pois o nível   m depende das necessidades, objetivos   o e estratégia da empresa.   c    I    T Por exemplo, existem processos e sistemas críticos que precisam de um gerenciamento da segurança   e maior do que outros que são menos críticos. Por outro lado, o grau de sofisticação dos controles que    d precisam ser aplicados em um processo é mais direcionado pela exposição ao risco da empresa e pelos   a requisitos aplicáveis de conformidade com leis, regulamentos e contratos.   ç  A escala do modelo de maturidade ajudará os profissionais a explicar aos gerentes onde existem   n   a deficiências no gerenciamento do processo de TI. Especificamente, o nível de maturidade gerencial   n   r dependerá da dependência da empresa em TI, de s ua sofisticação tecnológica e, mais importante, do   e valor da informação para o negócio.   v   o    G Melhores Práticas: Recomendamos que após alcançar o nível 3 de maturidade, os processos de TI,

considerados mais críticos devem ter sua maturidade elevada até o nível 5. Utilizar a ferramenta o PDCA.

Road Map de Implantação da Governança de TI:    C Atividade: Avaliar do Nível de Maturidade dos Processos de TI    S    B   e Principais técnicas para realizar Avaliação do Nível de Maturidade dos Processos de TI:    ®    L    I - Entrevistas    T    I  ,    ® - Preenchimento de questionário    T    I    B - Reuniões    O    C - Workshops   m   o - Coleta de documentos (também chamada de coleta de evidências operacionais)   c    I    T - Observação de campo.   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G Melhores Práticas: Utilize duas o mais técnicas para fazer a avaliação do nível de maturidade dos processos de TI. Exemplo: Preenchimento de questionário, entrevistas e coleta de documentos.

Road Map de Implantação da Governança de TI    C Atividade: Avaliar do Nível de Maturidade dos Processos de TI    S    B   e Exemplo: Questionário    ®Objetivo: Fazer a avaliação do nível de maturidade do processo    L    I Critérios:    T    I  , 1 – Avaliação (auto-avaliação) é baseada em questões com uma única resposta (sim ou não);    ®2 – Os níveis de maturidade são seqüências;    T    I 3 – Para mudar de nível superior é necessário atender todos os requisitos do nível atual;    B 4 – Faixa de valores válidos é de : 0 a 5. Onde 0 é menor nível e 5 o maior;    O5 – Nível de maturidade é representado por número inteiro;    C 6 – O Nível de Maturidade pode variar de acordo com a necessidade do negócio e de regulamentação   m   o   c    I Modelo Genérico de Maturidade:    T Nível Descrição   e    d O Inexistente Não existe processo definido ( formalmente)   a 1 Inicial Processos são „ad hoc‟ e desorganizados, o sucesso depende de esforços   ç individuais.   n   a 2 Repetitivo Existem processos, mas são informais, não são padronizados são intuitivos   n   r O processo formal, documentado e comunicado   e 3 Definido   v Processo é monitorado e medido   o 4 Gerenciável    G 5 Otimizado Melhores práticas são seguidas e os processos são automatizados

Road Map de Implantação da Governança de TI    C Atividade: Avaliar do Nível de Maturidade dos Processos de TI    S    B   e Exemplo de Questionário:    ® Questões    L    I    T    I Nível de Maturidade: 0 - Inexistente  , 1 - Existe suporte para resolver as questões dos usuários ?    ® 2 - Existe um processo de gerência de Incidentes ?    T    I    B Nível de Maturidade: 1 - Inicial    O 1- Existe processos formais ?    C 2 - Existe padronização de processos ?   m 3 - O suporte dos serviços de TI é apenas reativo ?   o 4 - Existe a monitoria de consultas, incidentes e tendências ?   c    I 5 - Existe o processo escalação para garantir que o problema será resolvido ?    T   e Nível de Maturidade: 2 - Repetitivo    d 1 - A empresa reconhece a necessidade do Service Desk e da Gerência de Incidentes ?   a 2 - Existe uma base mesmo que informal disponível para ajudar no suporte ao usuário ?   ç   n 3 - O conhecimento é individual ?   a 4 - Existem ferramentas para auxiliar na resolução dos incidentes ?   n   r   e 5 - Existem treinamento para a equipe ?   v   o 6 - Existe a comunicação formal dos padrões e procedimentos ?    G 7 - A responsabilidade é individual ?

Resposta (S/N)

Road Map de Implantação da Governança de TI    C Atividade: Avaliar do Nível de Maturidade dos Processos de TI    S    B Exemplo de Questionário:   e Questões    ®    L    I Nível de Maturidade: 3 – Processo Definido    T    I 1 - A empresa reconhece a necessidade do Service Desk e da Gerência de Incidentes ?  , 2 - Existe a padronização e documentação dos processos ?    ®    T    I 3 - FAQ e os guias de apoio ao usuário foram desenvolvidos ?    B 4 - As questões e os incidentes são acompanhados em uma base manual e monitorados individualmente?    O 5 - Os usuários recebem comunicação clara de onde e em como relatar os problemas e incidentes ?    C   m Nível de Maturidade: 4 - Gerenciado e Mensurado   o   c 1 - Há uma compreensão plena dos benefícios do Servido Desk e do processo da gerência de incidente    I em todos os níveis da organização ?    T 2 - As ferramentas e as técnicas são automatizadas com uma base de conhecimento centralizada ?   e    d 3 - Existe interação entre as equipes do Service Desk e da Gerência de Problema ?   a 4 - As responsabilidades são claras e eficácia é monitorada ?   ç   n 5 - Os procedimentos para comunicar, escalar e resolver incidentes são estabelecidos e comunicados?   a 6 - O pessoal do Service Desk foram treinados apropriadamente ?   n   r 7 - Existe uma aplicação especifica para ajudar na execução e na melhora das atividades e tarefas do   e Service Desk ?   v   o 8 - As métricas de desempenho já foram desenvolvidas ?    G 9 - O desempenho do Service Desk é mensurado ?

Resposta (S/N)

Road Map de Implantação da Governança de TI    C Atividade: Avaliar do Nível de Maturidade dos Processos de TI    S    B Exemplo de Questionário:   e Questões    ®    L    I Nível de Maturidade: 5 - Otimizado    T    I 1 - O Service Desk e o processo de Gerência de Incidente foi estabelecido e está bem organizado ?  ,    ® 2 - As métricas KPIs e KGIs sistematicamente são medidas e relatadas ?    T    I    B 3 - Existe interação entre as equipes do Service Desk e da Gerência de Problema ?    O 4 - Os FAQ são parte da Base de Conhecimento ?    C 5 - As ferramentas estão disponíveis para os usuários fazerem alto diagnostico e resolver incidentes ?   m   o 6 - Os incidentes são resolvido rapidamente dentro de um processo estruturado de escalação ?   c    I 7 - A gerência utiliza alguma ferramenta para estatísticas de desempenho do Service Desk e do processo    T da Gerência de Incidente ?   e 8 - Os processos foram refinados ao nível das melhores práticas de mercado?    d   a 9 - Existe o processo de melhoria contínua ?   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Resposta (S/N)

Road Map de Implantação da Governança de TI    C Atividade: Avaliar do Nível de Maturidade dos Processos de TI    S    B   e Entrega e Suporte    ® Gerenciar Central de Serviços e Incidentes    L    I Modelo de Maturidade:    T    I O gerenciamento do processo de “gerenciar a central de serviço e os incidentes” que satisfaça ao  ,    ® requisito do negócio para a TI de “permitir o uso eficaz dos sistemas de TI através da análise e    T    I resolução de consultas, solicitações e incidentes” é:    B    O 2 Repetível, porém Intuitivo quando    C Há uma consciência organizacional da necessidade de uma central de serviços e de um processo de gerenciamento de incidentes. Assistência está disponível de maneira informal por meio de uma   m rede de indivíduos que têm conhecimento. Essas pessoas têm algumas ferramentas comuns para   o auxiliar na resolução de incidentes. Não há treinamento formal, não há procedimentos padrão e   c    I comunicados e as responsabilidades ficam a cargo de cada pessoa.    T   e 3 Processo Definido quando    d  A necessidade de uma central de serviço e um processo de gerenciamento de incidente é   a reconhecida e aceita. Os procedimentos foram padronizados e documentados e ocorrem   ç treinamentos informais. Entretanto, fica a cargo das pessoas obter treinamento e seguir padrões.   n   a Consolidação de perguntas frequentes (FAQs) e diretrizes de usuários são desenvolvidas, mas as   n   r pessoas devem procurá-las e podem não seguilas. Chamados e incidentes são rastreados   e manualmente e monitorados individualmente, porém não existe um sistema de reporte formal. A   v resposta em tempo adequado aos chamados e incidentes não é medida e os incidentes podem   o continuar sem solução. Os usuários foram claramente comunicados sobre onde e como registrar    G os problemas e incidentes.

Cobit

DS8

Road Map de Implantação da Governança de TI    C Primeira Fase: Avaliar do Nível de Maturidade, resultado da Avaliação: Gap Análise    S    B Cenário Atual:   e    ®  A compilação da avaliação apresenta o nível de maturidade do processoo nível atual e    L    I nível desejado.    T    I Nível de Maturidade do Processo:  ,    ® Não-definido Inicial Repetível Definido Gerenciado Otimizado    T    I 0 1 2 3 4 5    B    O    C   m   o   c    I Gap    T Nível de Nível de   e maturidade maturidade    d atual desejado   a   ç Relatório de Gap Analyses:   n   a Nível de Nível de Os procedimentos não Maturidade Maturidade   n   r Processo TI Processo (Desejado) (Real) GAP estão padronizados   e nem documentados   v Gerenciar Central de Serviços e Incidentes DS8 3 2 -1   o    G

Road Map de Implantação da Governança de TI    C Primeira Fase: Elaborar o Plano de Ação    S    B Relatório de Gap Analyses:   e Nível de Nível de Comentários Maturidade Maturidade    ® Processo TI Processo (Desejado) (Real) GAP    L    I Os procedimentos não estão Gerenciar Central de Serviços e    T    I Incidentes DS8 3 2 -1 padronizados nem documentados  ,    ®    T    I Plano de Ação    B Objetivo: Elevar o nível de maturidade do processo para melhorar o nível de qualidade dos    O serviços de TI.    C Recomendação:   m   o - Padronizar e documentar todos os procedimentos.   c    I    T O procedimento deve ter no seu corpo data de atualização, versão e responsável pela elaboração e   e aprovação.    d   a Quem deverá aprovar estes documentos será o Gerente de Serviços de TI.   ç   n   a Todos os interessados devem ter ciência (conhecer) os procedimentos e também devem receber   n   r treinamento adequada para usa-la de forma eficiente.   e   v Os procedimentos devem fazer parte da política da Empresa.   o    G Observe que o Plano de ação diz “O que fazer ” e “não como fazer ”. É P (plan) do PDCA

Road Map de Implementação de Governança de TI    C 2.3 - Como chegaremos lá?    S    B Fase 2 – Implementação do Projeto de Governança de TI   e    ®    L    I    T    I  , Fase 2    ® Implementar     T    I os Planos de    B Ação    O Treinar a Implementar os    C Equipe processos   m   o   c Governança    I Implementar  Verificar pós    T deTI Ciclo de   e implementação    d Melhoria   a Continua   ç Selecionar e   n   a Adquirir da   n   r Ferramenta   e   v   o    G

Road Map de Implementação de Governança de TI    C 2.3 - Como chegaremos lá?    S    B Fase 2 – Implementação do Projeto de Governança de TI (Visão Geral)   e Treinar a Equipe:    ® - Planejar o treinamento da equipe que participará da Fase 2    L    I - Realizar o treinamento da equipe que participará da Fase 2    T    I Implementar os Planos de Ação e dos Processos:  , - Refinar (os Planos de Ação escritos na Fase 1) os Planos de Ação escrevendo o “como fazer” )    ® - Faça a implementação dos Planos de Ação    T    I - Planejar a implementação dos processos (processos de TI que não existem na empresa).    B - Faça a implementação dos processos    O Ferramenta: PDCA (P e D)    C   m Verificar pós implementação:   o - Fazer a verificação pós implementação: dos Planos de Ação e dos processos que foram implementados.   c Ferramenta: PDCA (C e A)    I    T Selecionar e Adquirir Ferramentas:   e Chegou a hora de escolher as ferramentas para facilitar e automatizar os processos, procedimentos    d e instruções.   a - Fazer a especificação da ferramenta   ç - Fazer ou solicitar o processo de compra   n   a Ferramentas: RFI e RFP   n   r Implementar o Ciclo de Melhoria Continua:   e   v - Estabelecer o ciclo de melhoria continua   o - Definir e implantar o Comitê de Melhoria Continua    G Ferramentas: Brainstorming, Diagrama de Causa Efeito, PDCA

Road Map de Implementação de Governança de TI    C 2.4 - Como saberemos se chegamos?    S    B Governança de TI. Mensuração de desempenho:   e - Planejar e definir o processo, politica e os procedimentos de Monitoramento e Avaliação    ® - Implementar o processo, politica e procedimentos.    L    I    T    I Fornece Direção  ,    ®    T Define Objetivos Atividades de TI    I    B  Aumentar a automação    O TI está alinhada com o negócio (torna o negócio eficaz)    C TI habilita o negócio e Reduzir custo (torna a   m maximiza os benefícios empresa eficiente)   o Recursos de TI são Monitoramento e Gerenciar Riscos   c utilizados com    I (segurança,  Avaliação    T responsabilidade confiabilidade e   e Riscos relativos de TI são conformidade)    d gerenciados   a apropriadamente   ç Medição do   n   a Desempenho   n   r   e   v Monitoramento e Avaliação:   o  Após a implantação da Governança de TI, como saber da efetividade da implantação ?    G > Os indicadores e métricas, permitem saber o desempenho em relação a metas e objetivos. 













   C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Melhores Práticas e Recomendações para implementação da Governança de TI Objetivo desta parte: É apresentar as melhores práticas para implementação da Governança de TI

Utilizar as melhores práticas de Gestão de Projeto:    C Seguir as práticas recomendadas pelo PMBok®/PMI    S PMBOK® - Project Management Body of Knowledge    B Conjunto de Conhecimento do Gerenciamento de Projetos   e Segundo o PMBok (4º. Edição):    ®    L    I “Um projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto,    T    I serviço ou resultado exclusivo”.  ,    ® Gerenciamento de projeto é a aplicação de conhecimento, habilidades,    T ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de atender aos    I requisitos. O gerenciamento de projetos é realizado através da aplicação e    B da integração dos seguintes processos de gerenciamento: iniciação,    O planejamento, execução, monitoramento, controle e encerramento.    C   m Visão dos processos do gerenciamento de projetos   o   c    I    T   e    d   a   ç O Guia PMBok , 4ª. edição, apresenta conjunto de práticas tradicionais   n  jáumcomprovadas em Gerenciamento   a de Projetos, amplamente utilizadas.   n   r   e É um guia onde se descreve a   v somatória de conhecimento e as práticas dentro da área de   o melhores gerência de projetos;    G

Definir o Escopo do Projeto de implementação:    C    S    B   e O quê fazer     ®    L    I   o    T   c    I    i   g  ,    é    t    ®   a    T   r    I    t   s    B    E    O   p    C   n    U   w   o   c   m   o   m    i    t    D   o   o   c   p    t    t    á   o   o    T    I    T   e    B    l    T   a   e   n    d   o    i   a   c   a   ç   r   n   e   a   p   n    O   r   e   v Como   o    G fazer 

Governança Corporativa Governança de Conformidade

Governança do Negócios BSC

COSO Cobit

escopo

Governança de TI Planejamento Estratégico de TI    I    T   e    d   s   o   ç    i   v   r   e    S ITIL / ISO20000

  a    d  o   a   ã   ç   ç   n   a   a   r   m   r   u   f   o   g   n   e   I    S

  e   e   r    d   a   w   a   t    f   c    i   r   o    b   S    á   e    F   d CMMi/ Mps.br 

ISO17799/ ISO27002

Arquitetura de TI Recursos

Projetos   s   e   r   o    d   e   c   e   n   r   o    F SAS70 / e-SCM

PMBok/PMI Processos

BPM Qualidade ISO9001 / Seis Sigma

Defina os Marcos e os Entregáveis Etapa 2    C Etapa 1    S    B Avaliação   e Abertura    ®    L    I 1 semana    T    I 1 2  ,    ® Reunião de Workshop de Abertura    T Conscientização    I    B Planejamento Entrevistas e    O de Atividades Questionários    C Reunião Executiva Observação de   m Campo   o   c    I Coleta de    T Documentos   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Etapa 3

Etapa 4

Análise de Dados / Elaboração dos Planos de Ações

Apresentação / Encerramento

2 semanas

1 Semana 5 Apresentação do Gap Analyses Report Apresentação dos Planos de Ação

Gap Analysis

Revisão e Ajustes

3 Tabulação de dados

Elaboração do Gap Analysis Report

4

Elaboração dos Planos de Ação

6 Entrega Gap Analyses Report e Planos de Ação

Revisão Geral

Gestão do Projeto

Entregáveis: Relatório de Gap Analysis e Relatório de Plano de Ação

Reunião de Encerramento do projeto

Selecionar: Ferramentas que aderem aos processos    C Existem duas referências sobre ferramentas que aderem aos processos ITIL®:    S    B 1 - Relatório: PinkVerify (da Pink Elephant - www.pinkelephant.com)   e > É um relatório que avaliação aderência da ferramentas em relação aos processos da ITIL    ®    L    I    T    I 2 - Esquema: OCG e APM:  ,    ®  Através do OGC (Office of Government Commerce), o APM Group estabeleceu um esquema que    T    I permite que os fornecedores de ferramentas de software obtenha a aprovação de uma ferramenta    B baseada em ITIL. Esta aprovação (aval) permite que as ferramentas tenha uma licença e um selo de    O “compliant”.    C Bronze Level Process Compliance (Nível Bronze) é concedido para as operações em que a   m ferramenta atende ou excede o critério de avaliação   o   c    I    T   e Silver Level Process Compliance (Nível Prata) é concedido para as operações em que a    d ferramenta atende ou excede o critério de avaliação e que é implantada em produção em   a conformidade com os processos da ITIL, em pelo menos, três clientes.   ç   n   a   n Gold Level Process Compliance (Nível Ouro) é concedido para as operações em que a   r ferramenta atende ou excede o critério de avaliação é aprovada por pelo menos três clientes   e que utilizam a ferramenta em produção conformidade com os processos da ITIL   v   o    G Fonte: http://www.itil-officialsite.com/SoftwareScheme/ITILSoftwareScheme.asp

Selecionar: Ferramentas que aderem aos processos    C Existem duas referências sobre ferramentas que aderem aos processos ITIL®:    S    B   e 1 - Relatório: PinkVerify (da Pink Elephant - www.pinkelephant.com)    ® PinkVERIFY Veja de lista de fornecedores de ferramentas, que estão 100% em conformidade com PinkVERIFY 3.1    L    I Os processos:    T    I  , PM = Problem Management    ®  AVM = Availability Management    T    I    B CAP = Capacity Management REL = Release & Deployment Management    O    C CHG = Change Management RF = Request Fulfillment   m   o SACM = Service Asset & Configuration EV = Event Management   c Management    I    T FM = Financial Management SCM = Service Catalog Management   e    d   a IM = Incident Management SLM = Service Level Management   ç   n   a ITSCM = IT Service Continuity Management SPM = Service Portfolio Management   n   r   e KM = Knowledge Management   v   o    G Fonte: http://www.pinkelephant.com/PinkVERIFY/PinkVERIFY3-1Toolsets.htm

Selecionar: Ferramentas que aderem aos processos    C Existem duas referências sobre ferramentas que aderem aos processos ITIL®:    S    B 1 - Relatório: Pink Verify (da Pink Elephant - www.pinkelephant.com)   e Lista em ordem alfabética:    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G Fonte: http://www.pinkelephant.com/PinkVERIFY/PinkVERIFY3-1Toolsets.htm

Utilizar as melhores práticas para Governança de TI: Negócio    C Cobit Requisitos    S    B Informação   e PO - Planejar e Organizar Definir um Plano Estratégico de TI    ® PO1 Critérios P02 Definir a Arquitetura da Informação PO3 Determinar o Direcionamento Tecnológico    L Eficiência    I PO4 Definir os Processos, Organização e os Relacionamentos Eficácia TI    T    I de Confidencialidade PO5 Gerenciar o Investimento de TI  , PO6 Comunicar as Diretrizes e Expectativas da Diretoria Integridade PO7 Gerenciar os Recursos Humanos de TI Disponibilidade    ® PO8 Gerenciar a Qualidade Conformidade Avaliar e Gerenciar os Riscos de TI    T    I PO9 Confiabilidade PO10 Gerenciar Projetos    B    O Recursos de TI    C ME - Monitorar e Avaliar  Aplicações Monitorar e Avaliar o Desempenho   m ME1 Informação ME2 Monitorar e Avaliar os Controles Internos   o ME3 Assegurar a Conformidade com Requisitos Infra-estrutura   c Externos Pessoas    I ME4 Prover a Governança de TI    T   e Cubo Cobit    d Modelo de Governança Os recursos de TI   a são gerenciados   ç pelos processos de   n TI para atingir os   a objetivos de TI que   n respondem aos   r requisitos de   e negócios. Este é o   v princípio básico do   o modelo CobiT, como    G ilustrado pelo Cubo do CobiT

AI- Adquirir e Implementar   AI1 AI2 AI3 AI4 AI5 AI6 AI7

Identificar Solução Automatizadas Adquirir e Manter Software Aplicativo Adquirir e Manter Infraestrutura de Tecnologia Habilitar Operação e Uso Adquirir Recursos de TI Gerenciar Mudanças Instalar e Homologar Soluções e Mudanças

DS - Entregar e Suportar  DS1 Definir e Gerenciar Níveis de Serviços DS2 Gerenciar Serviços de Terceiros DS3 Gerenciar Capacidade e Desempenho DS4 Assegurar Continuidade de Serviços DS5 Assegurar a Segurança dos Serviços DS6 Identificar e Alocar Custos DS7 Educar e Treinar os Usuários DS8 Gerenciar a Central de Serviço e os Incidentes DS9 Gerenciar a Configuração DS10 Gerenciar os Problemas DS11 Gerenciar os Dados DS12 Gerenciar o Ambiente Físico DS13 Gerenciar as Operações

Características, Missão e Definição de Governança de TI Principais Características do Cobit: -- Orientado a Negócio - Orientado para Processos - Baseado em Controles - Guiado por métricas Missão do CobiT: Pesquisar, desenvolver, publicar e promover um modelo de controle para governança de TI atualizado e internacionalmente reconhecido para s er adotado por organizações e utilizado no dia -a-dia por gerentes de negócios, profissionais de TI e profissionais de avaliação Definição de Governança segundo manual do Cobit: A governança de TI é de responsabilidade dos executivos e da alta direção, consistindo em aspectos de lidera nça, estrutura organizacional e processos que garantam que a áre a de TI da organização suporte e aprimore os objetivos e as estratégias da organização

Utilizar as melhores práticas para Gestão de Serviços de TI    C ITIL v3    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G  A daptado do ori g inal de David P ultorak 

Utilizar as melhores práticas para Gestão de Serviços de TI    C ITIL v2    S    B   e Relacionamento com Negócio    ®    L    I    T    I   s   o  ,    i   ç    ®   v   r   e    T Gerenciamento do Nível de Serviço    I    S    B   e Gerenciamento Gerenciamento Gerenciamento    O    d Gerenciamento   a Financeira de de Continuidade    C   g de de Capacidade   e   r Serviços de TI de Serviços de TI    t Disponibilidade   n   m   E   o   c    I    T   s Gerenciamento de Mudança   o   e    i   ç    d   v   r   s   o   e    i   r   a    S Gerenciamento Gerenciamento Gerenciamento Central de   ç   s    á   u de de   s Serviços   n   o de Liberação   a    U   a   e (porta) Incidentes Problemas    t   n   r   r   o   e   p   u   v    S Gerenciamento de Configuração   o    G

  a   ç   n   a   r   u   g   e    S   e    d   o    t   n   e   m   a    i   c   n   e   r   e    G

Adotar e Adaptar: Levar em consideração a cultura da empresa    C As melhores práticas para o Gerenciamento de Serviços de TI devem ser    S adaptadas a cultura da empresa. Adotar e    B Suporte aos Serviços   e Adaptar  Registro de    ® Chamado    L    I Gestão de Gestão de    T    I Configuração Incidentes  ,    ® Central de Usuários    T    I Serviço    B Ciclo PDCA    O    C Planejar  Executar  Gestão de Entrega dos Serviços Plan DO   m Problema Agir  Verificar    o Check  Ac t  Monitoramento SLA   c    I RFC    T   e Gestão de Gestão de    d Mudança Liberação Gestão SLM/SLA   a   ç   n Gestão de Gestão de   a Clientes Continuidade Disponibilidade   n   r (negócios)   e Gestão de Gestão de Base de   v Financeira Capacidade Conhecimento   o    G

Definir o grau de importância dos Processos de TI:    C O grau de importância dos processos é uma ótima referência para definição do nível    S de prioridade da implementação dos processos de TI.    B Cobit pode ajudar na definição do nível de prioridade. No manual do Cobit existe uma   e referência do grau de importância do processos. Veja o exemplo abaixo:    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C Grau de importância: Alto   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Definir os Papéis e Responsabilidades:    C Defina claramente os papéis e responsabilidades, utilize a Matriz RACI, o Cobit tem a    S Matriz definida para todos os 34 processos.    B Veja o exemplo:   e    ® Entrega e Suporte    L    I    T    I Gerenciar Central de Serviços e Incidentes  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a R – Responsável: Quem é responsável pela execução (a execução pode ser delegada)   n   r A – Accountable: Quem presta conta   e (exemplo: presta conta sobre os resultados do processo)   v C – Consultado: quem é consultado   o (exemplo: antes ou depois da execução de uma atividade) I - Informado: quem é informado    G (exemplo: antes ou depois da execução de uma atividade)

DS8

Definir os Atributos de Controle dos Processos:    C Principais atributos de controle de um processo, que você deve definir:    S    B   e PC1 - Metas e Objetivos do Processo Define e comunica as metas e objetivos específicos, mensuráveis, acionáveis, realísticos,    ® orientados a resultados e no tempo apropriado para a efetiva execução de cada processo de    L    I TI. Assegura que eles estão ligados aos objetivos de negócios e que são suportados por    T    I  , métricas apropriadas.    ®Questões chaves: Qual é a meta do processo ? Quais são os objetivos do processos ?    T    I    B PC2 - Propriedade dos Processos    ODesigna um proprietário para cada processo de TI e claramente define os papéis e    C responsabilidades de cada proprietário de processo. Inclui por exemplo, a responsabilidade   mpela elaboração do processo, interação com outros processos, responsabilidade pelos   o resultados finais, medidas da performance do processo e a identificação de oportunidades de   c    I melhorias.    T Questão chave: Quem é dono do processos ?   e    d   a PC3 - Repetibilidade dos Processos   ç Elabora e estabelece cada processo-chave de TI de maneira que possa ser repetido e   n produzir de maneira consistente os resultados esperados. Fornece uma sequência lógica   a   n   r mas flexível das atividades que levarão ao resultado desejado, sendo ágil o suficiente para   e lidar com exceções e emergências. Usa processos consistentes, quando possível, e   v processos personalizados apenas quando inevitável.   o    GQuestão chave: O resultado do processo é previsível ?

Definir os Atributos de Controle dos Processos:    C Principais atributos de controle de processo: (continuação)    S    B PC4 - Papéis e Responsabilidades:   e Define as atividades-chaves e as entregas do processo. Designa e comunica papéis e    ®responsabilidades para uma efetiva e eficiente execução das atividades-chaves e sua    L    I documentação bem como a responsabilização pelo processo e suas entregas.    T    I Questão chave: Quem é responsável pelas atividades ?  ,    ®    T    I PC5 - Políticas Planos e Procedimentos:    B Define e comunica como todas as políticas, planos e procedimentos que direcionam os    Oprocessos de TI são documentados, revisados, mantidos, aprovados, armazenados,    C comunicados e utilizados para treinamento. Designa responsabilidades para cada uma   mdessas atividades e em momentos apropriados verifica se elas são executadas   o corretamente. Assegura que as políticas, planos e procedimentos sejam acessíveis,   c    I corretos, entendidos e atualizados.    T Questão chave: Quais são as politicas e procedimentos do processo ?   e    d PC6 - Melhoria do Processo de Performance:   a   ç Identifica um conjunto de métricas que fornecem direcionamento para os resultados e   n performance dos processos. Estabelece metas que refletem nos objetivos dos processos e   a indicadores de performance que permitem atingir os objetivos dos processos.   n   r Definem como os dados são obtidos. Compara as medições reais com as metas e toma   e   v medidas quanto aos desvios quando necessário. Alinha métricas, metas e métodos com o   o enfoque de monitoramento de performance geral de TI.    G Questão chave: Existe um enfoque em melhoria contínua ?

Definir as Politicas, Procedimentos, Planos e Registros:    C Para implementação dos controles dos processos de TI, que é parte da Governança de TI,    S será necessário definir e elaborar as politicas, procedimentos, planos e instruções. Veja o    B modelo abaixo:   e    ® Nível Estratégico    L    I Descreve a Política da Política    T    I empresa (diretrizes) da Empresa  ,    ®    T    I Descrevem atividades    B individuais: “o quê, Planos e Nível Tático    O quem e quando”. Procedimentos    C   m Instruções de Trabalho, Nível Operacional   o Descrevem as tarefas:   c Especificações, Métodos e    I “como”. etc    T   e    d Evidências Evidenciam a realização (Operacional de   a Registros comprovação)    ç das atividades/tarefas   n   a Como a empresa  • Relatórios   n • Relatórios de atendimento   r Demonstra a  • Chamado/Ticket • Registros de Treinamento   e efetivamente  • Resultados de Auditoria   v • Formulários (exemplo: RFC) como processo    o • Logs • Pesquisas de Satisfação com cliente  praticado     G 1 - Aderente ao padrão ISO

Definir os Indicadores de Desempenho:    C Por que medir ?    S “Quem não mede, não gerencia, quem não gerencia, não melhora.” -Joseph M. Juran    B “O que não pode ser medido não pode ser controlado” - Prof. Ishikawa:   e    ® Definição dos indicadores é uma parte fundamental do Modelo de Governança, pois os    L    I indicadores é a principal ferramenta para avaliar o desempenho da TI.    T    I Características de um bom Processo:  ,    ® Por ser mensurável, é possível    T É Mensurável    I avaliar sua performance (através de    B - É bem definido KPI1) e aplicar o ciclo de melhoria    O- Tem um dono definido    C contínua (PDCA1) - Passível de repetição   m   o - É previsível   c    I - Consistente Nível de    T - Integro Excelência Maturidade operacional   e - É estável    d   a - Tem nível de maturidade   ç adequado ao requisitos do negócio   n   a - É adaptável   n   r - É Documentado Consolidação   e do nível   v   o Tempo    G

Considerações sobre os Indicadores de Desempenho:    C Indicadores:    S    B Para atender os objetivo e os requisitos do negócio devemos medir o desempenho e   e a qualidade do resultado (produzido) pelo processos.    ® Para isto precisamos definir quais os indicadores, metas, métricas, como será a coleta e    L    I análise dos dados.    T    I Desta forma podemos fazer a gestão e a melhoria contínua dos processos.  ,    ® Definição de Indicadores de Desempenho e de Qualidade (Resultado):    T    I    B Indicador-chave de Desempenho é uma medida significativa usada para monitorar o    O progresso dos processos em relação a uma meta preestabelecida. (rfs-2006)    C   m Indicador-chave de Qualidade (Resultado) é uma medida significativa usada para para   o medir o nível de qualidade do resultado produzido pelo processo em relação a uma meta   c    I preestabelecida. (rfs-2006)    T   e    d Exemplo:   a Processo: Atendimento ao Cliente (SAC):   ç   n   a   n   r   e   v   o    G R eclamação A tendimento R es pos ta

Definir os Indicadores de Desempenho:    C    S Processo: Atendimento a Clientes    B   e Exemplos de Métricas:    ® - Quantidade de chamados atendidos    L    I - Quantidade de chamados não atendidos    T    I  , - Quantidade de ligações recebidas por mês    ®    T    I Exemplos de Indicadores de Desempenho:    B - Taxa de abandono de ligações    O - TMA (Tempo médio de atendimento)    C - Percentual de Satisfação do cliente com o primeiro nível de atendimento   m   o   c    I Exemplos de Meta:    T - 97% de Satisfação do cliente com o primeiro nível de atendimento   e - 80% dos Chamados resolvidos no primeiro nível de atendimento    d   a   ç Benefícios dos Indicadores:   n - Permite o Controle, Gerenciamento e Melhoria da Qualidade:   a   n   r - Permite mensurar o desempenho do processo   e - Permite implementar o ciclo de melhoria continua   v   o - Permite planejar e realização de treinamento    G

Definir os Indicadores de Desempenho:    C O Cobit tem um conjunto de indicadores (objetivos e métricas) definidos para cada um dos    S seus 34 processos. Veja o exemplo abaixo:    B   e Entrega e Suporte    ® Gerenciar Central de Serviços e Incidentes    L    I    T    I Objetivos e Métricas:  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Cobit

DS8

Contratar ajuda externa:    C Considere contratar uma empresa de consultoria especializada, para ajudar na definição    S da visão do modelo de Governança, na avaliação do nível de maturidade dos processos    B de TI, na condução do projeto de implementação, na gestão da mudança e na elaboração   e do plano de comunicação.    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Definir um Plano de Comunicação:    C  A implementação da Governança de TI exige (na maioria das vezes) um nível elevado de    S mudança organizacional.    B   e  A principal barreira à mudança é falta de comunicação ou uma comunicação pobre (são inconsistentes, fragmentadas e ineficazes).    ® Falta de comunicação leva a incerteza, insegurança e medo. Uma pessoa insegura e com    L    I medo pode reagir a mudança atacando ou criando empecilhos a mudança. Isso pode    T    I comprometer o resultado da mudança (a implementação da  ,    ® Governança de TI).    T    I    B Solução: Definir um Plano de Comunicação que alcance todas as partes interessados    O na implementação da Governança de TI    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Fazer a Gestão da Mudança:    C Vender os benefícios da mudança aos colaboradores garante o comprometimento com sucesso    S da mudança    B Identificação da extensão das implicações   e Mudança da Mudança. AÇÃO    ® Noção de que o objeto da    L Ação: Comprometer  mudança é uma realidade    I    T    I  ,    ®    T CRENÇA    I Ação: Definir Senso de Propriedade    B Demonstração de sinais de    O    t “buy-in ” da mudança.   o    C   n As pessoas começam a aderir e   e contribuir para mudança;   m   m    i    t   o   e ENTENDIMENTO   c   m Ação: Fazer entender    o    I   r    T   p   m Compreensão do objetivo da mudança, e   o   e    C também como as pessoas estão inseridas    d no contexto da mudança. Ação: Informar    a Falta de CONHECIMENTO   ç informação   n sobre o   a objeto da   n mudança Conhecimento da mudança, mas ainda existe   r DESCONHECIMENTO dúvidas sobre o escopo, profundidade,   e impacto ou razão da mudança   v   o    G Tempo

Fazer a Gestão da Mudança:    C Melhores Práticas: Oito Passos para a Mudança (John Kotter):    S 8. Institucionalizar     B   e a nova abordagem Implemente & Sustente a    ® Transformação    L 7. Consolidar a Mudança    I    T    I  , 6. Planejar e criar ganhos de Comprometa & Capacite    ® toda Organização curto prazo    T    I    B 5. Implementar a Visão    O    C Crie um Clima para a Mudança   m 4. Comunicar a Visão   o   c    I 3. Criar a visão da mudança    T   e    d 2. Formar uma equipe comprometida com a   a visão da mudança   ç   n   a 1. Estabelecer um senso de urgência   n   r   e   v ”Todos os esforços de transformação altamente bem-sucedidos combinam uma boa liderança   o com um bom gerenciamento”.    G Based on Kotter, John P. Leading Change. Boston: Harvard Business School Press

Vender os Resultados:    C Venda os resultados que a implementação de Governança de TI pode gerar e não as    S funcionalidades e/ou características. Veja o exemplo abaixo:    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ® Alguns Resultados:    T    I    B - Aumento: 12% da disponibilidade    O    C do ambiente de TI   m - Redução: 10% no TCO   o   c - Redução: 30% Falhas nas    I    T Operacionais (aumento de Resultados   e confiabilidade dos serviços)    d obtidos com a - Redução: 50% no tempo de   a implementação de   ç atendimento (respostas aos   n   a Gestão de Serviços incidentes)   n   r de TI com base nas - Redução: 25% no tempo de   e   v praticas da ITIL execução das mudanças   o    G

Referências:    C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Notas:    C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

Marcas Registradas: Todos os termos mencionados que são reconhecidos como Marca Registrada e/ou comercial são de responsabilidades de seus proprietários. O autor informa não estar as sociada a nenhum produto e/ou fornecedor que é apresentado neste material. No decorrer deste, imagens, nomes de produtos e fabricantes podem ter sido utilizados, e desde já o autor informa que o uso é apenas ilustrativo para fins educativo, não visando ao lucro, favorecimento ou desmerecimento da marca ou produto. Melhoria e Revisão: Este material esta em processo constante de revisão e melhoria, se você encontrou algum problema ou erro envie um e-mail para nós. Criticas e Sugestões: Nós estamos abertos para receber criticas e sugestões que possam melhorar o material, por favor envie um e-mail para nós. Imagens: Google, Flickr e Banco de Imagem.

Rildo F dos Santos ([email protected])

Licença:    C    S    B   e    ®    L    I    T    I  ,    ®    T    I    B    O    C   m   o   c    I    T   e    d   a   ç   n   a   n   r   e   v   o    G

View more...

Comments

Copyright ©2017 KUPDF Inc.