eBook Avalanche de Leads Fagner Borges Felipe Pereira

February 26, 2019 | Author: Erlon Carvalho | Category: Advertising, Facebook, Search Engine Optimization, Marketing, Email
Share Embed Donate


Short Description

Download eBook Avalanche de Leads Fagner Borges Felipe Pereira...

Description

FAGNER BORGES e FELIPE PEREIRA

@ 11 ERROS QUE IMPEDEM

SEU NEGÓCIO DE ATRAIR

UMA AVALANCHE

DE LEADS Evite essas falhas, atraia milhares de clientes e exploDa suas vendas!

AVALANCHE

de Leads

Os Autores 

Fagner Borges 

 Twitter: @fagneraborges  Twitter:  @fagneraborges Facebook: www.fb.com/fagner.design E-mail: [email protected] [email protected] ital.com

Fagner é empreendedor digital, co-produtor do Avalanche de Leads, Sócio da Praia Digital, do FB Responder, do FB Click e criador dos cursos Fature 10K, Fature 25K e Afiliado Investidor. Publicitário de formação é especialista em Comunicação Pública com ênfase em comunicação visual. Ex-servidor público, abandonou abandonou uma ótima carreira para realizar o sonho de transformar vidas enquanto viaja o mundo. Com uma metodologia fácil de ser aplicada e ferramentas inovadoras, ajudou a transformar a vida de centenas de pessoas e negócios através dos seus cursos e aplicativos. aplicativos.

AQUI!  Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!  Acesse  A cesse a versão mais recente desse e-book,

2

Os Autores 

Felipe Pereira

 Twitter: @felipeunu  Twitter:  @felipeunu Facebook: www.fb.com/felipeunu Facebook:  www.fb.com/felipeunu E-mail: felipe.p [email protected] [email protected] m.br

Felipe Felipe Pereira é empresário e empreendedor serial, diretor geral do Digaí, da agência digital Unu Soluções, do Integra Email, co-fundador do Aprendizado Acelerado, co-produtor do Avalanche de Leads e organizador do Encontro Brasileiro de Marketing Digital (EBRAMAD). Expert em e-mail marketing e funis de marketing automatizados, atua como consultor e palestrante, tendo ministrado dezenas de palestras em eventos como Encontro Locaweb de Profissionais de Internet, Fórum de Marketing Digital Digitalks, CONAED, Marketing Minds e Facebook Pro. Durante 04 anos, foi coordenador da Especialização em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais da Estácio do Recife, um dos principais cursos de pós-graduação em Marketing Digital do Brasil. Possui Doutorado em Administração e atua conectando o empreendedorismo e a universidade, aplicando o conhecimento acadêmico nos negócios e pesquisando cientificamente as práticas do mercado.

AQUI!  Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!  Acesse  A cesse a versão mais recente desse e-book,

3

 sumário  apresentaçã  apresent ação o

05

erro 1

Não compreender bem o seu público-alvo

07 

erro 2

 Atrair  A trair vilões para para seus canais canais

10

erro 3

Focar em uma única fonte de tráfego

13

erro 4

Usar uma única forma de capturar as leads

17 

erro 5

Não oferecer uma boa recompensa

 20

erro 6

Não testar e otimizar os anúncios

 24

erro 7 

Não testar testar e otimizar ot imizar as páginas de captura

 27 

erro 8

Não acompanhar acompanhar as métricas mét ricas adequadamente 

 30

erro 9

Não investir o suficiente 

 35

erro 10

Não ter constância constância na captura de leads

 38

erro 11

Focar mais em quantidade do que em qualidade   41 por fim...

AQUI!  Acesse a versão mais mais recente desse e-book,AQUI! e-book,  Acesse  A cesse a versão mais recente desse e-book,

 44

4

 APRESENTAÇÃO Uma grande preocupação dos negócios, empreendedores e profissionais de marketing com que nos deparamos no nosso dia a dia é como conquistar clientes utilizando a internet. E para atuar de forma efetiva é necessário compreender que esse processo possui 3 etapas: atração, captura e conversão. A etapa 1 consiste em atrair pessoas que não conhecem a sua marca e transformá-las em um visitante. Você pode fazer uso de estratégias pagas (anúncios) e gratuitas (tráfego orgânico) para trazer os estranhos para seu website, blog, página de captura¹, canal no Youtube, página no Facebook ou qualquer outro canal de comunicação. A segunda etapa é a captura de leads. Um visitante se torna uma lead quando você possui um modo de entrar em contato com ele posteriormente, seja através de e-mail, SMS, ligação telefônica, Whatsapp ou um anúncio direcionado (retargeting²). Na etapa final, ocorre a conversão das leads em clientes, através de e-mails, vídeos e páginas de vendas. Essa conversão depende principalmente da efetividade da comunicação e das leads. Quanto maior a qualidade das leads e quanto mais leads forem geradas, mais vendas serão realizadas e mais o negócio cresce. Dentro de um mesmo mercado, quem for mais competente em fazer isso conquista o mercado e esmaga a concorrência, obtendo maior destaque. Como fazer isso é uma preocupação compartilhada em vários eventos, encontros e bate-papos de que participamos, bem como de treinamentos e palestras que ministramos. 1 Página em que alguém se cadastra para obter alguma recompensa, como uma videoaula, infográfico ou e-book gratuito. 2 Retargeting consiste em veicular anúncios direcionados para alguém que realizou determinada ação. Por exemplo, alguém viu em uma loja virtual um tênis de determinada marca e modelo. Depois disso, anúncios oferecendo exatamente esse tênis ficam "perseguindo" essa pessoa em vários sites.

 Acesse a versão recente desse e-book, AQUI! AQUI!  Acesse a versão maismais recente desse e-book,

5

Por conta disso, resolvemos nos unir e oferecer conteúdo sobre essa temática, buscando ajudar ao maior número possível de empresários, empreendedores e profissionais. Fagner Borges é especialista em tráfego pago e atua principalmente como afiliado profissional. Ele cria anúncios para promover produtos de terceiros e é remunerado a cada venda que faz. Desenvolveu uma grande competência na criação de anúncios de alta conversão, pois caso os anúncios que criasse não dessem resultados, ele perderia o dinheiro investido. Com isso, ocupou os primeiros lugares em rankings de afiliados de vários produtos no mercado brasileiro e já gerou centenas de milhares de reais em vendas. Felipe Pereira é especialista em tráfego gratuito. Possui artigos e páginas em websites que estão na página 1 do Google para palavras-chave relevantes nos seus nichos, lançou um e-book que já alcançou mais de 15 mil downloads sem investir em anúncios (dos quais mais de 2 mil foram em uma única semana), realizou um congresso online que teve mais de 16 mil inscritos, a maioria deles gratuitos e já gerou dezenas de milhares de reais em vendas a partir desse tráfego gratuito. Analisando as práticas dos empresários, empreendedores e profissionais de marketing e comunicação, observamos 11 erros que impedem que os negócios tenham uma avalanche de leads. Para cada um deles, apresentamos o que é, por que prejudica a geração de leads e como corrigir o erro. Conhecê-los, entender como atrapalham e saber como evitá-los vão lhe permitir atrair milhares de clientes e explodir as vendas de seu negócio.

Desejamos uma boa leitura e muitas vendas para você! :) Fagner Borges e Felipe Pereira AQUI!  Acesse a versão maismais recente desse e-book, AQUI!  Acesse a versão recente desse e-book,

6

erro

1

 ? ? 

?  ?

 ?

NÃO COMPREENDER BEM O SEU PÚBLICO ALVO -

?   Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

7

o que é?  A maior parte dos empreendedores e prossionais de markeng com que conversamos não consegue denir com precisão o público de uma campanha. Pra eles vale sempre a máxima de quanto mais, melhor, e esse erro é capaz de arruinar todo seu esforço de markeng. Já cansamos de ouvir a resposta: “Meu cliente é qualquer pessoa”, quando perguntamos a empreendedores e prossionais de markeng qual é o seu público alvo. Esse é o erro #1 na hora de ajustar a sua comunicação. Conhece aquele ditado que diz: “Quem muito quer, nada tem”? Cai como uma luva na denição do seu público alvo.

Por que prejudica?  Denir bem o seu público alvo costuma ser responsável por grande parte do seu resultado. Ao conhecer a fundo a pessoa com quem você quer se comunicar, você consegue encontrá-la com mais facilidade. Além disso, se torna capaz de entrar na mente dela e dizer exatamente aquilo que ela precisa ouvir para tomar a decisão mais acertada naquele momento. Quando não compreende, você não consegue encontrar a pessoa certa nem se comunicar de forma persuasiva com ela.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

8

Como corrigir?  Compreender bem o seu público-alvo é simples, mas requer trabalho. Escolha aquele cliente dos seus sonhos, que você caria muito feliz em atender e analise os 5 pontos a seguir:

 Análise psicológica Sexo Idade

Classe Social Escolaridade

Quais são seus medos? Com o que ele se frustrou? Com o que ele sonha? Quais são os seus desejos?

 Análise social

 Análise cultural

Filhos Relacionamento Trabalho

Livros

 Análise do Cotidiano O que ele vê? O que ele sente? O que ele ouve?

Autores Mídia (TV, Rádio, Revista)

Sites, páginas no Facebook e canais no Youtube que acessa Filmes Ídolos e Gurus

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

9

Ao analisar e denir cada uma dessas 05 perspecvas do seu cliente perfeito, você irá facilmente entrar na cabeça do seu público e encontrá-lo onde quer que ele esteja. Você terá uma avalanche de clientes compradores batendo à sua porta.

Um aviso final: Dependendo do seu negócio, você pode ter que denir mais de um desses pers. Felipe Pereira já atuou em projetos que nham 7 públicos disntos e para cada um deles, foi  feita toda essa análise! 

VOCÊ GOSTOU DO E-BOOK?  ENTÃO COMPARTILHE COM  SEUS AMIGOS! 

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

10

erro

2

Atrair vilões para seus canais

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

11

o que é?  Quando as pessoas denem seu público, é muito comum analisar quem querem atrair para o negócio, mas raramente pensam nas pessoas que não querem atrair. Consideramos o vilão tão importante quanto o público de interesse. Saber o po de pessoa que você não quer para o seu produto vai te ajudar, e muito, a evitar dores de cabeça no futuro. Há dois pos de vilão: aquele que nunca se tornará seu cliente e aquele que se tornará mas lhe trará mais problemas do que benecios.

Por que prejudica?  O primeiro po de vilão são aquelas pessoas que não se encaixam com o seu objevo, mas que acabam sendo atraídos pela sua comunicação. Essas pessoas nunca se tornarão seus clientes, ou seja, você está desperdiçando recursos com leads que não converterão. Se você está fazendo anúncios pagando por cliques, por exemplo, estará “jogando dinheiro fora” fazendo propaganda para quem nunca lhe comprará. O segundo po de vilão é aquele que se torna cliente, mas por estar fora do perl desejado, trará mais problemas do que benecios. Podem ser clientes que farão o cancelamento da compra, exigirão muito suporte, atenção em excesso ou retrabalho desnecessário, sendo preferível não tê-los.  Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

12

Como corrigir?  Além de denir o seu público alvo, você pode denir o po de pessoa que você quer repelir, seja porque não se tornará um cliente ou porque se tornará um cliente problemáco.

EXEMPLO: No lançamento do Fature 10K, um treinamento em que Fagner Borges ensina as pessoas a se tornarem aliados de sucesso, foram denidas como vilões pessoas desempregadas, sem uma poupança ou perspecva de ganho, pessoas que não nham cartão de crédito, pessoas que gostam de escrever muito e mandar e-mails e pessoas que acreditam exclusivamente em tráfego gratuito. Como o Fature 10K é um método voltado para a atração de pessoas através de anúncios, essas pessoas cariam frustradas com o conteúdo que seria aplicado no curso e provavelmente iriam pedir devolução (o treinamento oferece garana de sasfação de 30 dias) ou causar sobrecarga à equipe de suporte. Por isso, a comunicação deixou clara que essas pessoas não eram interessantes para o curso.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

13

erro

3

Focar em uma única fonte de tráfego

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

14

o que é?  O Markeng Digital parece passar por períodos de “moda”. Em determinado momento, falam que Google Adwords é a melhor ferramenta para gerar tráfego. Em outro, o “segredo” é criar um blog e trabalhar o SEO (Omização de Busca) para obter tráfego orgânico (gratuito) do Google. Em outro momento, dizem que é a vez do Twier. Algum tempo atrás, criar uma página no Facebook e gerar engajamento organicamente era garana de sucesso. Depois que o alcance orgânico das postagens caiu, Facebook Ads tornou-se obrigatório. Agora estão falando de Youtube, Bing e até Instagram. A cada um desses períodos, os empreendedores e prossionais de markeng direcionam todos os seus esforços para a “bola da vez”, trabalhando essa fonte de tráfego única e se esquecem das outras alternavas.

VOCÊ GOSTOU DO E-BOOK?  ENTÃO COMPARTILHE COM  SEUS AMIGOS! 

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

15

Por que prejudica?  Há três principais problemas em ulizar uma única fonte de tráfego: risco, volume e custo. Risco

Se você uliza apenas Google Adwords, por exemplo, ca bastante suscevel a mudanças de regras por parte do Google. O mesmo ocorre se você foca exclusivamente em tráfego orgânico para seu blog usando técnicas de SEO ou de uma página no Facebook. Um exemplo disso ocorreu no nal de 2013 e início de 2014, quando alguns negócios dependiam muito do tráfego proveniente de suas fan pages e o Facebook reduziu o alcance orgânico delas deixando muita gente a ver navios! Volume

Se você não diversica as fontes de tráfego, o crescimento do seu negócio estará limitado aos canais que uliza. Ulizar outras fontes permite conseguir mais visitantes, mais leads e, consequentemente, mais clientes. Custo

Se você não diversica as fontes de tráfego, você pode estar perdendo a oportunidade de obter tráfego de alternavas mais baratas. Além disso, na medida em que aumenta o invesmento em um canal, o custo daquele canal tende a aumentar e direcionar parte dos recursos para outra fonte pode omizar seu orçamento.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

16

Como corrigir?  É importante ulizar múlplas fontes de tráfego, tanto pagas quanto gratuitas. O quadro abaixo mostra algumas delas:

FONTES DE TRÁFEGO GRATUITAS

• Blogs/SEO • Guest posts • Posts provocados • Páginas no Facebook  • Grupos no Facebook  • Canais no Youtube • Grupos no LinkedIn • Canais no Youtube • Outras mídias sociais

FONTES DE TRÁFEGO PAGAS

• Facebook Ads • Google Adwords • Anúncios no Youtube • Bing Ads • LinkedIn • UOL Cliques • Publieditoriais • Banners em blogs e portais • Disparos de e-mails

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

17

erro

4

Usar uma única forma de capturar as leads

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

18

o que é?  Ouvimos muito que o “segredo está na lista” e todo mundo corre para criar listas de e-mails. Historicamente, a única forma de construir relacionamento com uma lista de forma organizada e recorrente era através do e-mail. E para muitos empreendedores e prossionais de markeng isso ainda é uma realidade. Só que atualmente existem outras formas de construir listas e se relacionar com elas.

Por que prejudica?  Quanto ulizamos apenas e-mails, perdemos a oportunidade de ter outros pontos de contato e usar uma comunicação integrada. Um dos grandes princípios da comunicação é manter contato com seu público de várias formas diferentes, pois é exatamente esse constante contato com sua mensagem que fará com que ele decida por se tornar cliente. Ao manter apenas um canal você reduz a chance de contato. Além disso, as caixas de e-mails estão cada vez mais cheias e as taxas de aberturas das mensagens, reduzindo. O e-mail marketng é efetvo, mas ao diversicar seus canais, você aumenta as chances de que o usuário leia a sua mensagem.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

19

Como corrigir?  Você pode usar múlplas formas de capturar suas leads e enviar mensagens, como os próprios e-mails, SMS, Whatsapp, torpedos de voz, nocações no Facebook e remarkeng. Para isso existem sistemas como o FB Responder,  que faz o disparo de mensagens automácas dentro do Facebook. Ou as listas de remarkeng disponíveis na plataforma do Google Adwords e do Facebook Ads, que permitem que você veicule anúncios para quem visitou uma página especíca do seu site. Lembra aquele tênis que você pesquisou em uma loja virtual e depois ele cou lhe “perseguindo” pela internet inteira? Você pode fazer a mesma coisa e construir funis de markeng com anúncios baseados no comportamento dos usuários no seu site. Conhecer esses sistemas e ulizar na sua comunicação fará com que seus resultados cheguem a níveis antes impossíveis de ser alcançados.

VOCÊ GOSTOU DO E-BOOK?  ENTÃO COMPARTILHE COM  SEUS AMIGOS! 

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

20

erro

5

Não oferecer uma boa recompensa

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

21

o que é?  Os negócios costumam ulizar páginas de captura em seus sites e blogs para que os visitantes informem seus dados de contato (e-mail e telefone, por exemplo) e se transformem em leads. Para esmular o cadastro, é comum que se ofereça algo como um e-book, um guia ou um manual em troca dos dados de contato. Muitas vezes essas recompensas são mal elaboradas, de pouca ulidade, irrelevantes e/ou possuem informações disponíveis em vários outros locais. Em outros casos, se oferece apenas um cadastro na newsleer, para receber um bolem informavo de baixa relevância.

Por que prejudica?  Normalmente, para que um visitante se torne uma lead, é necessário que ele informe seu e-mail e/ou telefone em um site. Isso consiste em uma transação (não nanceira), pois o visitante informa seus dados para contato na expectava de receber algo em troca. Quanto melhor a recompensa, maior a chance do visitante se cadastrar e mais leads serão capturadas. Além disso, quem se cadastra e recebe um material de boa qualidade tem uma impressão posiva sobre essa primeira transação e isso aumenta consideravelmente a chance da lead fazer uma nova transação com você - dessa vez, nanceira.  Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

22

Quando a recompensa é de má qualidade, ou os visitantes não se cadastram, ou eles se cadastram mas a primeira impressão sobre seu negócio é negava. Isso tudo faz você perder vendas.

Como corrigir?  Para aumentar a sua taxa de conversão, é importante oferecer uma boa recompensa. Isso pode ser resumido em 03 atributos: qualidade, ulidade e exclusividade.

Qualidade  A recompensa foi bem elaborada e passa uma ideia de prossionalismo?

Utilidade  O conteúdo da recompensa é úl para o cliente em potencial? O que ele consegue gerar de resultados a parr dele?

Exclusividade  O conteúdo que está sendo oferecido é exclusivo ou pode ser encontrado facilmente em outros websites?

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

23

erro

6 Não testar e otimizar os anúncios

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

24

o que é?  Criar um anúncio é apenas um passo dentro de uma efeva estratégia de markeng e o trabalho não acaba quando a campanha começa a ser veiculada. Muitos empreendedores e prossionais de markeng fazem pouco (ou nenhum) teste em seus anúncios. Simplesmente criam alguns deles, veiculam e pronto.

Por que prejudica? 

Ao deixar de testar e omizar seus anúncios você pode estar “deixando dinheiro na mesa”. Anúncios não omizados geram custos maiores, e menos resultados. Só testando e omizando você poderá evitar que o seu dinheiro desça pelo ralo e chegar ao estado da arte na geração de leads.

VOCÊ GOSTOU DO E-BOOK?  ENTÃO COMPARTILHE COM  SEUS AMIGOS! 

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

25

Como corrigir?  Mesmo que você acerte no primeiro anúncio e tenha um retorno sobre o invesmento (ROI) posivo, é preciso testar até a exaustão as suas campanhas. Para testar e omizar os resultados não existe fórmula mágica, é criar uma a uma as peças publicitárias e acompanhar as métricas, pausando os anúncios piores e aumentando a verba dos melhores. Existem 3 pilares que devem ser analisados ao se criar um anúncio (dependendo da plataforma):

PÚBLICO

IMAGEM

 

TEXTO

Você deve escolher um desses 3 pilares para testar e criar pelo menos 2 variações. Em seguida, deve testar por tempo suciente para saber qual dos dois gera leads e vendas a um custo mais baixo. Por m, depois de chegar a uma conclusão, testar outro pilar, e assim sucessivamente. Para você ter uma noção, uma simples sacada de colocar a Primeira Letra De Cada Palavra em Caixa Alta nos Anúncios, melhorou em 50% a conversão de uma das campanhas do Fagner Borges.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

26

erro

7

Não testar e otimizar as páginas de captura

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

27

o que é?  As páginas de captura são páginas de um website que possuem um formulário para que os visitantes se cadastrem, normalmente, em troca de uma recompensa. Assim como no caso dos anúncios, é necessário testar e omizar as páginas de captura, mas muitos empreendedores e prossionais de markeng negligenciam essa avidade.

Por que prejudica? 

Quem não realiza testes e omizações nas páginas de captura provavelmente tem uma taxa de conversão menor do que poderia. Por exemplo, se a cada 10 visitantes de uma página de captura que não foi testada e omizada, apenas 1 se cadastra (conversão de 10%), é possível que omizações tripliquem a sua conversão para 3 (30%). Nesse caso, você estaria perdendo ⅔ dos clientes que poderia vir a ter - ou poderia ter os mesmos resultados gastando ⅓ do orçamento.

VOCÊ GOSTOU DO E-BOOK?  ENTÃO COMPARTILHE COM  SEUS AMIGOS!   Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

28

Como corrigir?  Para testar e omizar, você deve criar versões de sua página de captura variando imagens, ícones, imagens de fundo, chamadas, formulários e botões. A parr daí, você divide o tráfego entre as diferentes versões e compara o desempenho delas. Isso é chamado teste A/B ou split-test. Por exemplo, você cria uma página de captura A e uma página de captura B. A cada 1.000 pessoas que visitam seu site, metade é direcionada para cada uma delas. Das 500 que viram a página A, 100 se cadastraram (20%) e das 500 que visitaram a página B, 150 se cadastraram (30%). Desse modo, a versão B é melhor e deve receber todo o tráfego a parr daí ou dar origem a um novo teste.

 ATENÇÃO!  É recomendável que as páginas A e B tenham apenas uma pequena disnção entre elas. Desse modo, garante-se que a diferença entre os resultados seja resultante dessa disnção. Por exemplo, se A e B possuem imagens diferentes, textos diferentes e botões diferentes, não há como saber qual foi a causa do melhor desempenho da página B. Se a única diferença entre elas é a cor do botão de cadastro, podemos armar que a diferença do desempenho foi por conta da cor.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

29

erro

8 Não acompanhar as métricas adequadamente

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

30

o que é?  Uma das formas de gerar tráfego para capturar leads e convertê-las em clientes é através do tráfego pago, ou seja, anúncios. Há várias modalidades de pagamento, como:

Valor fixo: um preço único, pago por um disparo de emails ou uma matéria patrocinada em um blog; Valor por tempo: preço definido por dia, semana ou mês para veicular um anúncio, como um banner em um blog, por exemplo; CPM: custo a cada mil impressões (visualizações) de um anúncio; CPC: custo por cada clique dado em um anúncio; CPL: custo por cada lead gerada em uma campanha; CPA: custo por aquisição, ou seja, por cada venda realizada; Comissão: custo definido como um percentual do valor de venda.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

31

Além disso, há várias outras métricas que podem ser mensuradas nas campanhas: CTR: taxa de cliques, percentual de pessoas que viram e clicaram. Taxa de conversão de cliques em leads: percentual de pessoas que clicaram e se cadastraram. Taxa de conversão de leads em clientes: percentual de pessoas que se cadastraram e compraram. ROI: retorno sobre invesmento, o quanto do valor invesdo retornou.

número de cliques número de visualizações

número de leads número de cliques

número de vendas número de leads

receita-despesa despesa

Receita por clique: quanto cada clique gerou de receita.

Receita por lead: quanto cada lead gerou de receita.

CLV: valor de vida do cliente, quanto cada cliente vale para o negócio, considerando não só a primeira transação mas todas as posteriores.

receita  número de cliques receita número de leads  faturamento total de vendas de vários produtos número de clientes

Essa diversidade de métricas faz com que vários empreendedores e prossionais de markeng quem confusos na hora de acompanhar suas campanhas, focando em métricas inadequadas ou, pior que isso, não acompanhando métrica alguma.  Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

32

Por que prejudica? 

Ter sucesso na geração de leads através de tráfego pago é uma questão de simples matemáca. Você precisa analisar quanto está invesndo, qual o retorno obdo e se está valendo a pena. Quem não acompanha adequadamente as métricas de suas campanhas perde a oportunidade de omizar seus resultados. Além disso, pode estar perdendo dinheiro gastando mais do que deveria - e sem saber disso!

Como corrigir? 

Você sempre deve acompanhar os números de suas campanhas. As métricas a seguir são necessárias para omizar os anúncios e páginas de captura: - Preço pago pelos anúncios (xo, por tempo, CPM, CPC, etc.): dene o invesmento feito em mídia e o objevo é reduzi-lo, desde que a qualidade do tráfego seja manda. - Taxas de conversão: dene o percentual de visitantes que se transformou em leads ou de leads que se tornou cliente. Quanto maior, melhor. Apesar de importantes, essas métricas por si só não são determinantes para denir o sucesso de uma campanha. Para isso é necessário comparar  Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

33

o custo por aquisição com o lucro por venda. Por exemplo, se você gasta R$ 100,00 em anúncios e gera R$ 1.000,00 em lucro, você está fazendo um bom negócio, independente de qual seja o seu CPC, CTR ou taxa de conversão. Desse modo, você pode comparar o custo por clique (CPC) com a receita por clique, o custo por lead com a receita por lead ou a receita proveniente das vendas com o invesmento em anúncios. O ROI é uma boa métrica

para isso. Se você gastou R$ 100,00 em anúncios e gerou R$ 500,00 em vendas, você tem um ROI de 4.

500 - 100 100

=

 400 100

=4

Quanto maior o ROI, melhor. Um ROI negavo indica que você está geran -

do menos receita do que está gastando com anúncios, mas dependendo da sua estratégia isso pode ser válido.

VOCÊ GOSTOU DO E-BOOK?  ENTÃO COMPARTILHE COM  SEUS AMIGOS! 

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

34

erro

9 Não investir o suficiente

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

35

o que é?  É muito comum ver empreendedores e prossionais de markeng começarem a invesr em algum po de tráfego e parar rapidamente porque os resultados ainda não apareceram. Ou então invesr um valor pequeno e, mesmo estando com um ROI posivo (para mais detalhes sobre o ROI, vide o erro 8), não aumentar o orçamento.

Por que prejudica? 

Uma campanha pausada nunca gerará vendas e toda vez que alguém desiste no meio do caminho, perde a oportunidade de chegar à vitória. Além disso, ao não invesr o suciente, você deixa de aumentar seu faturamento, seus lucros e sua lista, e isso terá sérias consequências para seus negócios no futuro.

VOCÊ GOSTOU DO E-BOOK?  ENTÃO COMPARTILHE COM  SEUS AMIGOS! 

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

36

Como corrigir? 

Normalmente as campanhas começam com um custo por clique ou por lead alto, e na medida em que os anúncios e páginas de captura são testados e omizados (vide o erro 6 e o erro 7), esse custo vai caindo. Se tem algo que já percebemos no markeng digital é que quando você omiza suas campanhas, as perdas anteriores são compensadas pelo resultado omizado. As pessoas costumam não invesr o suciente por medo de perder dinheiro e a dica aqui é simples. Entenda que o markeng digital funciona como uma máquina que mulplica dinheiro. Você coloca determinado valor e ela mulplica esse valor através das vendas que gera. Quanto mais recursos você injeta na máquina - e quanto mais ela é ajustada (omizada) - mais dinheiro sai. Quem ca com medo e para de invesr não gera vendas. Ponto nal. Se o seu produto ou serviço lhe dá um lucro de R$ 200,00, você só pode armar que está no prejuízo quando ver invesdo esse valor. Então nada de pausar as campanhas porque “já invesu R$ 50,00 e não fez nenhuma venda ainda”! Além disso, lembre-se de que mesmo que as vendas não tenham ocorrido ainda, as leads capturadas valem dinheiro. Você sempre pode oferecer produtos diferentes para elas.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

37

erro

10 Não ter constância na captura de leads

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

38

o que é?  Sempre nos deparamos com negócios que não estão o tempo todo capturando leads. Isso pode ocorrer por um período curto ou longo de tempo e normalmente ocorre por falta de planejamento ou foco. Capturar leads constantemente faz com que você sempre tenha novos possíveis clientes em contato com sua marca.

Por que prejudica? 

No markeng digital, é comum que haja uma perda gradual das leads capturadas. Pessoas mudam de e-mail, deixam de abrir suas mensagens, se descadastram, trocam de telefone celular ou saem da sua lista de remarkeng limpando os cookies de seus navegadores ou trocando de equipamento. Desse modo, ao parar a captura de leads, você começa a perder contatos e quando você não renova essa base, o engajamento vai reduzindo e, consequentemente, as vendas. Além disso, não manter o crescimento dos seus contatos reduz a sua chance de ampliar sua carteira de clientes, uma vez que menos pessoas estarão em contato com a sua marca.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

39

Como corrigir?  As principais alegações para não capturar leads constantemente são a falta de tempo e de capital. Essas diculdades são compreensíveis, mas podem ser contornadas. Para não deixar de capturar leads por falta de tempo, você pode ulizar estratégias que funcionem em piloto automáco ou que exijam pouco esforço de sua parte. Se você tem um blog, por exemplo, consegue capturar leads automacamente a parr de suas próprias visitas orgânicas. Se vai ulizar tráfego pago, pode promover seu negócio através de disparos de e-mails para listas de terceiros ou de uma matéria patrocinada em um blog. Essas estratégias não exigem acompanhamento diário de sua parte. Para a falta de capital, a solução pode ser a técnica da Bola de Neve. Ela é muito simples: você dene um Produto Financiador e direciona os seus anúncios para ele. O Produto Financiador é um produto mais barato e que seja mais fácil de vender. O objevo não é obter muito lucro com ele, mas sim nanciar a captura de suas leads. Você investe determinada quana em anúncios, captura leads, realiza vendas do Produto Financiador, oferece outros produtos para as leads capturadas e gera mais receita, que pode ser reinvesda, gerando uma bola de neve. Ao adotar um produto assim você pode crescer o seu negócio como um todo constantemente.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

40

erro

11 Focar mais em quantidade do que em qualidade

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

41

o que é?  Os empreendedores e prossionais de markeng muitas vezes estão preocupados com quantas leads foram capturadas e se esquecem de checar alguns indicadores importantes para saber se elas correspondem realmente ao público dele. Por conta disso, acabam construindo grandes listas de contatos que não convertem em vendas.

Por que prejudica? 

Focar exclusivamente no tamanho da lista fará com que você tenha uma muldão de pessoas que não possuem interesse nenhum em seus produtos. Isso faz com que desperdice recursos e crie falsas expectavas. Além disso, ao focar no tamanho da lista, você acaba se esquecendo de melhorar outros aspectos. A sua receita depende da quandade de leads e da sua qualidade, pois isso inuencia diretamente na taxa de conversão em vendas. Comparando os dois lançamentos do Fature 10K, treinamento do Fagner Borges, ele aumentou suas vendas em 12x com uma lista que nha apenas o dobro do tamanho. Em resumo, o poder da sua lista não está apenas no tamanho, mas sim no quanto ela está interessada no assunto.

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

42

Como corrigir?  Analise sempre os indicadores de engajamento (abertura e cliques) e de conversão em vendas para saber se você está no caminho certo. Lembre-se: é melhor ter uma lista de leads caras que converte do que uma de leads gratuitas ou baratas que não converte.

VOCÊ GOSTOU DO E-BOOK?  ENTÃO COMPARTILHE COM  SEUS AMIGOS! 

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

43

por fim...

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

44

Bom, chegamos ao m deste e-book. Seguindo essas dicas, seu negócio irá atrair uma verdadeira avalanche de leads, conquistar milhares de clientes e explodir suas vendas! Para ter esses resultados, não é necessário seguir todas as dicas de uma única vez. Adote-as uma a uma, de acordo com a facilidade de implementação e prioridade para o seu negócio. A cada erro evitado, você estará mais perto de ter uma avalanche de leads. Desejamos muito sucesso em seus negócios! Fagner Borges

[email protected] @fagneraborges Felipe Pereira

[email protected] @felipeunu

 Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

45

 AUTORES FAGNER BORGES E FELIPE PEREIRA

PROJETO GRÁFICO

IMAGENS www.freepik.com

AVALANCHE  Acesse a versão mais recente desse e-book, AQUI!

de Leads

46

View more...

Comments

Copyright ©2017 KUPDF Inc.
SUPPORT KUPDF